O que esperar de 2022?

Por: Shirleyde Santos 

 

“…Se acontecer afinal

de entrar em nosso quintal

a palavra tirania

Pegue o tambor e o ganzá

vamos pra rua gritar

a palavra utopia…”

Samba da utopia – Jonathan Silva

A palavra tirania entrou em nosso quintal, mas não nos deixamos abater. Apesar da pandemia, de tantas mortes que poderiam ter sido evitadas, do negacionismo, do racismo, da fome que assola nosso país, de tudo o que perdemos e o que ainda vamos perder ao longo desse ano, somos e seremos sempre resistência! E esse ano, em especial, teremos a possibilidade de mudar essa história. Por isso, resolvi começar a primeira coluna de 2022 com um trechinho do Samba da Utopia. 

Já falei muito por aqui sobre os diversos impactos que os agrotóxicos trazem para a saúde humana e para o meio ambiente. E continuarei! Porque o modelo de produção agropecuária escolhido e incentivado em nosso país é carregado dessas substâncias… carregado de VENENO! Como farmacêutica de formação e agroecóloga de coração, não consigo aliviar! É VENENO sim! E está adoecendo e matando diversas formas de vida. Sou uma profissional da saúde e militante pela vida! Não posso calar! Nem deixar de me indignar!

Encerramos o ano de 2021 com campanha antivacina e com a liberação de mais agrotóxicos, mais VENENO! Em plena pandemia que matou milhares de pessoas no mundo inteiro, o desgoverno em nosso país nunca teve como prioridade a vida. Daí, fazer campanha contra algo que salva vidas e liberar substâncias que matam vidas parece tão natural… Não é natural!!! Não podemos naturalizar algo que nos agride, que nos tira o ar e a vida, que nos tira a esperança! É preciso estar atento(a) e forte (como diria Caetano), pegar o tambor e o ganzá e ir pra rua gritar! Mas não só gritar!!!!

Estamos em ano eleitoral, nossas escolhas podem custar mais vidas ou trazer de volta a esperança. Vocês sabiam que, em 2020, a Articulação Nacional de Agroecologia (ANA), envolvendo uma grande rede de entidades, organizações e movimentos populares brasileiros, lançou a campanha ‘Agroecologia nas Eleições’? A campanha teve como objetivos: promover o debate público durante o processo eleitoral e subsidiar a ação dos poderes executivo e legislativo dos municípios, além de evidenciar a importância da participação da sociedade civil na elaboração e execução de políticas públicas efetivas.

Essa ação também foi fruto de uma pesquisa chamada “Municípios Agroecológicos e Políticas de Futuro”, que mapeou mais de 700 políticas e programas municipais que apoiam a agroecologia e a agricultura familiar, e promovem a soberania e segurança alimentar e nutricional no campo e na cidade. A partir desse mapeamento, foi criado um documento, denominado ‘Agroecologia nas Eleições: Propostas de Políticas de Apoio à Agricultura Familiar e à Agroecologia e de Promoção da Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional em Nosso Município’, no formato de carta-compromisso, que foi entregue a candidaturas de cidades por todo o Brasil.

1240 candidatas(os) assinaram a carta-compromisso, mas apenas 172 foram eleitas(os), sendo 47 prefeitas(os) e 125 vereadoras(es). Elegemos pouco mais de 10%. Realmente, não basta pegar um instrumento e gritar a palavra utopia! É necessário AGIR! A possibilidade de mudança a partir do nosso voto é real! Imagina elegermos governadoras(es), senadoras(es) e um presidente comprometidas(os) com a vida! Junte-se a nós nessa luta por um mundo melhor! 

Para conhecer mais:

Campanha Permanente Contra os Agrotóxicos e Pela Vida: www.contraosagrotoxicos.com.br  @contraosagrotoxicos

Lista geral de todas(os) as(os) candidatas(os) que se comprometeram com a campanha AGROECOLOGIA NAS ELEIÇÕES

Mapa interativo: “Municípios Agroecológicos e Políticas de Futuro”

Pesquisa completa: “Municípios Agroecológicos e Políticas de Futuro – Iniciativas municipais de apoio à agricultura familiar e à agroecologia e de promoção da segurança alimentar e nutricional”

 

Tags:

MAIS LIDAS

ÚLTIMAS POSTAGENS

Menu