A vida está te dando uma carga maior que você consegue suportar?

Por: Gracielle Araújo

Sabe aquele tipo de conversa que te faz refletir sobre seus atos, sobre si mesma? Eu tive uma recentemente, e, por incrível que pareça, com um médico cardiologista de João Pessoa. 

Ele é renomado, tem muitos pacientes e fui me consultar sobre um problema que apareceu recentemente em mim. Marquei consulta e não esperava nada além das perguntas de praxe, encaminhamentos para exames, porém não mais do que isso.

Mas que engano meu! Logo no início da conversa, ele perguntou sobre a minha vida e pediu contar a minha história. Eu olhei nos olhos dele e pisquei por alguns segundos pensando no que iria dizer. Normalmente perguntam: “O que te trouxe aqui hoje?”. Resolvi começar falando sobre meu trabalho e até contei um pouco sobre uma dificuldade que eu tenho passado.  

E, então, a conversa fluiu. De forma gostosa e que me fez voltar ao ponto inicial da minha vida. No final, ele deixou duas perguntas para que eu responda na próxima consulta: você já se encontrou com você mesma? Você acha que a vida está te dando uma carga maior que você possa suportar?

Minha vida mudou de ponta-cabeça. Histórias de filmes que a gente acompanha e não acredita, sabe? Pois bem. Tive que tomar uma decisão difícil e que ainda não sei se foi a melhor saída. Contudo, será que existe decisão correta? Ou você só vai aprender se arriscando e confiando nos seus instintos? 

Além do mais, preciso ser “forte”. Arranco uma força que nem sei da onde tiro. Algumas pessoas insistem e falam para usar a tal da “bateria extra”. Mas e se minha bateria extra acabar? Sempre dizem que sou corajosa e forte. O que não sabem é que por trás dessa coragem existe uma mulher que precisa ser amparada. 

Respondendo à pergunta que o médico me fez: não sei se a vida me deu mais do que eu possa carregar ou se eu estou transformando e pegando mais carga do que consigo. 

O fato é que essa carga também recebe muita interferência do meio externo. Eu me importo bastante com a opinião das pessoas e isso acaba aumentando a minha carga, pois eu tenho que corresponder às expectativas dos outros e, ainda por cima, as minhas. Vem de uma cobrança minha, um medo de errar. Porém, temos que entender que na vida surgem imprevistos. 

Acredito que eu tenho uma missão aqui na Terra, mas a minha jornada não precisa ser difícil ou dolorosa. Basta eu ir aprendendo com meus erros, não me importar com comentários maldosos e confiar mais em mim. Nas minhas decisões.

Os erros não irão definir quem você é. Eles vão te ajudar no processo de autoconhecimento. Não cabe as pessoas fazer julgamentos ou interferir nas suas decisões com base no que elas acham correto.  

Eu estou em um processo de me encontrar comigo, de ser mais gentil. É algo que precisa ser feito todos os dias. Diariamente vamos aprendendo algo sobre nós mesmos. Até mesmo mudando de opinião, de hobbies, perspectivas. Estou em busca constante (será infinita?) de conhecer a mim mesma. Não precisamos ser cruéis conosco. A gente precisa compreender mais o momento e não se cobrar tanto. 

Tags:

MAIS LIDAS

ÚLTIMAS POSTAGENS

Menu