Axioma dos sonhos

Por: Kelianny Nonato

Milton Nascimento tem uma mania de cantar por aí que “sonhos não envelhecem”. Mas esqueceu de dizer que sonhos são esses que não nos abandonam nunca e agem sempre como eternos meninos em nossa vida.

Sim, porque todos os sonhos do mundo não são uma coisa só. Existem os Sonhos-Sonhos, os Sonhos- OK e os Subsonhos. 

Os Subsonhos são aqueles sonhinhos pequenininhos que a gente sempre fala deles acompanhados de “ah, um dia vou fazer tal coisa”. E quem escuta a gente falar geralmente pensa “e por que não vai lá e faz logo isso?”. São os sonhos que não precisam de tanto esforço, pessoal ou financeiro, para serem realizados. Mas que mesmo assim a gente vai deixando o tempo correr e nada deles se concretizarem. Geralmente diz respeito à classe dos sonhos das tatuagens de estrela, das viagens para cidades que não ficam há mais de 200 km do lugar que você mora, das tranças box braids, da carteira de motorista e dos blogs pessoais. 

Já os Sonhos- OK, por outro lado, são aqueles que precisam até de um certo esforço para acontecerem, e que, ao contrário dos subsonhos, não são realizados num intervalo de tempo curto. Estes precisam ser maturados e trabalhados, mas estão dentro de um universo real existente e possível. É aquela festa de casamento, a nova graduação ou um mestrado, a escrita de um livro, a viagem internacional ou qualquer classificação de desejo realizável que mesmo o mundo estando como está, você sabe que vai se realizar um dia. Só não sabe quando, mas sabe que tem que trabalhar neles.

Tem horas que os subsonhos parecem besteira, tipo aquele dia que você numa conversa despretensiosa com uma amiga disse que queria muito fazer uma tatuagem e ela emendou com “vamos mais tarde”. E assim, do nada, tu foi e fez. Como um passe de mágica. Depois disso, passou dias se perguntando porque ficou tanto tempo sonhando com uma coisa até simples de se realizar para você. Os subsonhos são assim mesmo. O perigo é quando se multiplicam, aí tu realizas um e sai realizando todos esquecendo dos Sonhos-OK. 

Sim, porque os Sonhos-OK também se realizam, mas você passou tanto tempo se dedicando a eles que o gosto da vitória se dilui nas dificuldades do dia a dia e nas imperfeições das pequenas conquistas. Aí você só quer chegar ao fim da linha e dizer “pronto, era isso mesmo. Obrigada a todos, mas ainda bem que acabou.” Por isso que cursos superiores e de pós-graduação estão nessa categoria. 

Ah, e não podemos nos esquecer deles: os Sonhos-Sonhos. São grandes, enormes, imagináveis, estupendos e pretensiosos. Porém são quase intangíveis e podem por mágica do destino se realizarem ou te acompanharem por toda uma vida. Geralmente inclui outras pessoas ou um esforço grandioso que só super humanos ou pessoas muito sortudas conseguem realizar. Estão na classe desses sonhos escalar o Everest, formar uma família feliz, ver seus pais envelhecerem, vencer um Nobel e ver um pôr do sol na praia sem ninguém te incomodar. Os Sonhos-Sonhos vão da cabeça de cada um, nos fazem suspirar, pensar neles acordados e guardar isso só para si. De toda forma, devem ser desses que Milton estava falando. Pois por mais que você pense neles há anos, nunca vão deixar de ter aquela cor especial de pensamento novo. E são eles que vão nos acompanhar por muito tempo, até a gente envelhecer, só a gente, porque eles não vão.

Tags:

MAIS LIDAS

ÚLTIMAS POSTAGENS

Menu