A era do “tá tudo bem”

Por: Gracielle Araujo, colaboradora do Nossa Fala

Quantas vezes as pessoas te perguntaram como você estava e a resposta sempre é a mesma? Sempre é “tá tudo bem”. Estamos passando por momentos tão difíceis que já respondemos automaticamente essa frase, que tem muito mais significado do que realmente aparenta.

Estar tudo bem não significa que eu esteja bem e que tudo está às mil maravilhas. Não mesmo. O meu, e acredito que o seu, “tá tudo bem” em resposta para as pessoas vem carregado de significados implícitos. 

O meu “está tudo bem”, normalmente, tem diversos sentidos, de como eu estou cansada, sobrecarregada, frustrada. Mas que, mesmo assim, estou tentando superar meus medos, os desafios, a atual situação em que o Brasil se encontra, e tentando seguir com a esperança de que vai melhorar. É clichê pensar que tudo um dia vai melhorar ou apenas fé? Algo que a gente tem que se apegar para poder enfrentar o momento? Acredito que seja fé. Esperança. Temos que nos apegar a essas duas palavras. Fé que tudo vai ficar bem. Com as pessoas e com o mundo. 

Praticamente todos os dias eu já acordo cansada e desmotivada. Os motivos talvez sejam os mesmos que os de vocês: sensação de impotência, de que nada vai mudar, que estamos piorando, pessoas retrocedendo, que o ser humano está cada vez mais ignorante, entre outros. 

A minha atividade diária é conseguir realizar o que planejei e fazer minha lista para o futuro. Tudo vai melhorar e eu tenho que pensar no pós-pandemia. Tenho que sonhar e pensar no que eu estou fazendo para realizar. E cada desafio superado, é um dia que eu venci da minha luta diária, sempre com a esperança de que eu vou conseguir e que o mundo vai ser um lugar melhor.  

“Ah, mas para. O que você está dizendo? Mesmo antes da pandemia eu já estava cansada e não sou 100% alegre, feliz”. Não tem como estarmos felizes sempre. Felicidade para mim não é estar 24h por dia alegre. A gente tem que ter os nossos momentos de tristeza, senão, o que seria da felicidade? Eu sempre tive que dominar os meus pensamentos, saber que eu vou conseguir terminar uma tarefa, por exemplo, e que depois iria ficar alegre com o fim dela. A gente fica alegre estando com os nossos amigos, família, com os nossos pets, lendo livros, escutando música. Eu também fico feliz com a conquista dos meus amigos, com as vitórias deles, e, claro, com as minhas. 

Mesmo que a mente diga que não vou conseguir ou ser capaz, que eu não vou terminar, no final eu venço esses pensamentos e consigo concluir. É muito difícil. Muito mesmo. Mas vou lidando com a autossabotagem da mente. Da minha cabeça. E percebo o quanto eu sou boa e passo a ter mais orgulho da mulher que eu sou e me tornei. Vamos lutando dia após dia. Vencendo os nossos medos, pensamentos pessimistas, para que, no fim, a gente volte a ter esperança. 

Mas o outro deve saber que “não tá tudo bem”, mesmo essa sendo minha resposta? Se você tiver confiança e precisar desabafar, fale! Não tenha medo. Eu demoro para dividir as minhas angústias e não sei se isso é uma das melhores opções. É bom ter alguém para você contar os seus medos e sofrimentos. Inclusive, façam terapia. É muito importante ter a nossa saúde mental. É necessário no atual momento de hoje você conversar com alguém. 

A gente também tem que normalizar o “não está tudo bem”. Não precisamos ser fortes sempre. Não precisamos carregar as dores só para a gente. Precisamos desabafar, falar com o outro e dizer que não está tudo bem. E pessoas fortes também precisam de amparo, acolhimento. Muita gente também tem essa percepção errônea de que uma pessoa forte não precisa de ajuda, não precisa de apoio. Mas, sim, precisamos.

E pode ser que aquela sua amiga, por quem você tem maior consideração e apreço, esteja muito cansada e precisando de você. Mas, por ela estar lutando diariamente contra os pensamentos negativos e precisar acreditar que tudo vai ficar bem, ela não consiga dar uma resposta melhor ou até mesmo procurar você para falar que não está tudo bem. Ou, quando você pergunta, ela sempre diz que “tá tudo bem”. Responda carinhosamente, respeite o momento dela, mas diga que sempre vai apoiá-la. Palavras de pessoas tão queridas e de apoio sempre deixam o dia melhor. 

Hoje estou cansada, mas tento dar o meu melhor. Acordo, trabalho, pratico exercícios físicos e termino pensando que tudo vai mudar. E que está tudo bem não se sentir bem. Está tudo bem precisar de alguém.  

 

Tags:

MAIS LIDAS

ÚLTIMAS POSTAGENS

Menu