Quantas de nós somos Patrícia Roberta?

Por: Dani Fechine 

Quantas de nós não somos Patrícia Roberta? Quantas de nós não confiamos em amigos, namorados, parceiros, tios, pais? Quantas de nós simplesmente vivem como tem que ser, confiando na família e nos amigos? Infelizmente vivemos sem poder viver. Vivemos sem poder confiar na nossa sombra.

Na última semana, Patrícia Roberta foi morta com apenas 22 anos. O principal suspeito desse feminicídio é um amigo de longas datas. Ainda não se sabe como tudo aconteceu, mas sabemos que Patrícia não volta mais. A vida dela se perde junto com a de tantas outras.

Poderia ser comigo. Com você. Com a sua irmã. Com a sua mãe. Porque é muito natural confiar em quem se pode confiar. Querem encontrar justificativa, saber o que ela fez para morrer assim. Patrícia confiou. E não deveria haver nenhum problema com isso.

A gente se chocou. Se revoltou. Sentiu. Sofreu. Como sofremos todos os dias. Como choramos todos os dias pelas mortes de tantas mulheres em vão, simplesmente por serem mulheres. Mas e o que podemos fazer? Será que ainda há algo que possa ser feito?

As minhas forças estão se esgotando. Por mais que lutemos todos os dias para que o feminicídio seja lembrado, registrado, marcado e combatido, a sociedade o banaliza. Tem se tornado um crime qualquer. E o que faremos? Somos nós contra nós mesmas. Patrícia Roberta morreu por confiar. Morreu por ser mulher.

Tags:

MAIS LIDAS

ÚLTIMAS POSTAGENS

Menu